Há uma série de dicas que podem ajudar os casais a aumentar a sua fertilidade.

Contrariamente à opinião generalizada, uma dieta equilibrada não é o único factor que afecta positivamente a fertilidade. Outros factores importantes incluem praticar actividades desportivas, evitar as toxinas presentes no ambiente ou optar por posições sexuais favoráveis à concepção.

Exercício físico

A prática regular de actividade física pode afectar positivamente a fertilidade de ambos os parceiros. Os treinos de baixa intensidade e as práticas desportivas mais moderadas melhoram a circulação sanguínea e ajudam a regular a produção hormonal. O exercício físico aumenta os níveis de endorfina, contribuindo para que se sinta mais feliz e confiante. Naturalmente, também ajuda a controlar o excesso de peso que pode, por vezes, afectar negativamente a fertilidade.

Como começar a treinar

As pessoas mais sedentárias podem aumentar a sua fertilidade progressivamente, por exemplo, começando por fazer caminhadas com um passo mais acelerado, fazendo jogging mais lento ou nadando duas vezes por semana.

Comece por implementar pequenas mudanças na sua rotina. Opte, por exemplo, mais vezes pelas escadas em vez do elevador, vá às compras de bicicleta em vez de levar o carro ou faça uma pequena caminhada durante o seu intervalo de almoço.

Com o passar do tempo tornar-se-á numa pessoa mais dinâmica e estas pequenas mudanças trarão muitos benefícios para a sua saúde e para a sua vida.

É muito importante que o seu programa de exercício esteja devidamente adaptado às suas capacidades individuais. Pratique apenas desportos em que se sinta bem, e com um nível de intensidade adequado.

Em desportos extremamente intensos o calor pode tornar-se num problema e interferir negativamente com o processo de produção de espermatozóides nos testículos. É muito importante que utilize equipamento confortável, não demasiado apertado, para evitar que os testículos sejam demasiado pressionados contra o corpo.

Os homens que praticam ciclismo devem evitar a utilização de selins demasiado rígidos ou estreitos.

Controle o seu peso

De que forma o peso afecta a fertilidade MASCULINA

Um elevado índice de massa corporal (IMC) afecta negativamente a fertilidade masculina. Os homens com excesso de peso são mais propensos a produzirem esperma em menor quantidade e de menor qualidade, quando comparados com homens com um IMC normal1.

Isso deve-se ao desequilibro hormonal e à má circulação sanguínea, que afectam o suprimento de sangue aos órgãos reprodutores.

Por sua vez, os homens com peso a menos poderão ter deficiências nutricionais, e o défice de micro nutrientes tem como consequência provável a infertilidade.

De que forma o peso afecta a fertilidade FEMININA

Vários estudos demonstraram que as mulheres com um IMC (índice de massa corporal) superior a 30 recebem tratamentos para a fertilidade com muito mais frequência do que as mulheres com um IMC entre os 20 e os 252. Uma das consequências do excesso de peso é o facto de as mulheres com excesso de peso serem mais comummente afectadas pela síndrome do ovário poliquístico (SOP)3.

Esta condição envolve a formação de um grande número de quistos benignos (bolsas preenchidas por líquido) nos ovários da mulher. Isto dificulta a libertação de óvulos, afectando a capacidade de ovulação da mulher. Além disso, o equilibro hormonal da mulher poderá ficar comprometido, por exemplo, como consequência de picos de açúcar (hiperglicemia) no sangue.

O estrogénio não se forma apenas nos ovários mas também nas células adiposas (tecido gordo)4. A produção excessiva de estrogénio nas células adiposas poderá provocar um desequilíbrio hormonal, algo que os cientistas acreditam ser uma causa de infertilidade5.

O excesso de tecido adiposo também afecta negativamente a circulação sanguínea em todo o corpo, incluído na região do útero. Isto pode ser desfavorável à concepção, porque a região uterina requer grandes quantidades de nutrientes no início de uma gravidez.

Anorexia

Um IMC (Índice de massa corporal) inferior a 18 também pode ser problemático para casais que pretendam engravidar.

Isto acontece porque o corpo da mulher não possui reservas de energia suficientes para suportar uma gravidez6. Como consequência, o corpo ajusta a sua taxa de produção de óvulos, o que pode resultar na ausência de ciclos menstruais ou em ciclos menstruais irregulares.

O exercício regular pode ajudar ambos os parceiros a garantir um IMC normal e uma composição corporal favorável, aumentando a sua fertilidade. Mesmo que reduza apenas um pouco o seu excesso de peso, estatisticamente, as suas hipóteses de ter um filho aumentam.

Evite dietas extremistas que podem perturbar o equilíbrio hormonal e privar o corpo de nutrientes importantes.

Os aminoácidos e os antioxidantes podem aumentar a fertilidade masculina até 400%

As dietas que incluem uma combinação de micronutrientes, assim como as dietas ricas em aminoácidos, têm-se revelado muito eficazes para a melhoria da qualidade do esperma. O aminoácido L-Arginina pode afectar directamente a fertilidade masculina, e até quadruplicá-la, aumentando o volume total do esperma e melhorando a sua morfologia (% de formas normais), tal como demonstrado por numerosos estudos americanos7 8. Os componentes nucleares do esperma, as poliaminas espermina e espermidina, contém uma proporção elevada de Arginina.

A L-Arginina também afecta indirectamente a fertilidade masculina, melhorando a função eréctil e o estado geral de saúde do futuro pai. Por vezes a Arginina está presente em suplementos alimentares para a fertilidade.

Como a força de uma corrente é determinada pela força do seu elo mais fraco, os especialistas em fertilidade geralmente recomendam produtos equilibrados com multi-ingredientes em vez de tratamentos com doses elevadas de um único nutriente. Comparámos 13 produtos naturais que aumentam a fertilidade masculina aqui.

Veja aqui uma comparação útil de estimuladores naturais da potência masculina:

Leia a Comparação!

A elevada dose diária de L-arginina contida em alguns dos produtos contribui para a produção de espermatozóides bem desenvolvidos, saudáveis e com muita mobilidade.

Comparação de combinações de suplementos para a fertilidade masculina

Os suplementos para a fertilidade masculina disponíveis no mercado diferem substancialmente em matéria de qualidade e de preços.
Continue a ler para saber quais os produtos que merecem o seu tempo e do seu dinheiro

 

Leia a comparação!
boost fertility through relaxation

Reduza o Stress

O stress psicológico pode perturbar o equilíbrio hormonal, tanto no homem como na mulher, e tem sido alvo específico de investigação enquanto causa de infertilidade masculina idiopática (sem explicação evidente)9. Portanto, recomenda-se aos casais que desejam ter filhos que procurem descansar com mais regularidade e que dediquem mais tempo ao lazer, para ajudar a reduzir stress ou outro tipo de pressões que possam estar a sentir.

Praticar exercícios de relaxamento, como o Yoga ou a meditação, não sobrecarregar demasiado a agenda pessoal, fazer uma refeição romântica ou um fim-de-semana num spa, podem ser medidas muito benéficas para ambos os parceiros e contribuir para reacender a chama da paixão.

O casal deverá desfrutar destes momentos especiais passados na companhia um do outro. Quando a gravidez for bem-sucedida, terão muito menos tempo disponível um para o outro durante muitos, muitos anos.

Durma muito

A longo prazo, um sono de pouca qualidade pode provocar desequilíbrios hormonais e afectar negativamente várias funções do organismo. À medida que os níveis de stress e de cortisol aumentam, a fertilidade, quer do homem10, quer da mulher,11 diminui. Como tal, os casais que planeiam ter um filho deverão procurar dormir o suficiente.

De que forma o sono afecta a fertilidade MASCULINA

Os maus hábitos de sono podem originar problemas de peso, tanto no homem como na mulher. A obesidade masculina reduz a qualidade e a quantidade do esperma produzido pelo homem.

De que forma o sono afecta a fertilidade FEMININA

Alguns estudos concluíram que existe uma relação entre maus hábitos de sono e períodos irregulares (ciclos mais longos), o que diminui a fertilidade da mulher12, 13.

Um pequeno estudo registou também um maior número de abortos em enfermeiras que trabalhavam em horários nocturnos14.

Deixe de usar contraceptivos o mais cedo possível

Em teoria, uma mulher pode engravidar imediatamente após deixar de tomar contraceptivos. Os estudos indicam que é estatisticamente provável que o ciclo da mulher volte ao normal nos três meses seguintes, embora, por vezes, possa demorar muito menos tempo.

É muito difícil prever quando é que a mulher volta a tornar-se inteiramente fértil depois de deixar de tomar a pílula. Isso depende muito do estilo de vida e do estado geral de saúde de cada mulher.

Pensa-se que o pimenteiro silvestre (flor-da-castidade) ajuda a restabelecer o ciclo normal da mulher após um uso prolongado da pílula15.

Não abuse de determinadas substâncias

influência da cafeína na fertilidade

influência da cafeína na fertilidade

Fertilidade Feminina

Diversos estudos procuraram determinar os efeitos da cafeína na fertilidade da mulher16, no entanto, os resultados foram inconclusivos.

Após uma avaliação dos dados disponíveis, a organização ‘Teratology Information Services’ (Serviços de Informação de Teratologia), dos Estados Unidos, recomenda às mulheres que planeiam ter um filho que não consumam mais de aproximadamente de 200 mg de cafeína por dia, o equivalente a cerca de duas chávenas de café. Este limite inclui a cafeína presente noutros produtos como, por exemplo, a Coca-Cola, o chocolate e o chá preto, o que pode fazer com que o limite diário recomendado seja alcançado rapidamente.

Os mecanismos através dos quais o consumo de café pode ter um efeito negativo na fertilidade feminina são ainda desconhecidos, embora os peritos suspeitem que a cafeína altera o equilíbrio hormonal.

Fertilidade Masculina

Em contrapartida, a qualidade do esperma não parece ser afectada pela cafeína, observando-se um efeito negativo apenas em alguns casos de consumo muito elevado17. Um estudo brasileiro concluiu, inclusivamente, que o café aumenta a motilidade dos espermatozóides em alguns homens 18.

influência do álcool na fertilidade

influência do álcool na fertilidade

Enquanto o fígado está a processar o álcool, não consegue desempenhar outras funções em simultâneo como, por exemplo, eliminar o excesso de estrogénio. Um excesso da hormona sexual feminina pode ter efeitos adversos para a fertilidade da mulher e do homem19.

Nos homens, o abuso prolongado do consumo de álcool pode ter efeitos negativos e irreversíveis na qualidade do esperma20.

No entanto, ainda não é claro se o consumo ocasional de bebidas alcoólicas é prejudicial para fertilidade. Por esse motivo, os especialistas recomendam a quem pretende ter um filho que limite o consumo de álcool a um máximo de três vezes por semana. Mas se pretende jogar pelo seguro e aumentar as suas hipóteses o máximo possível, evite consumir bebidas alcoólicas.

influência da nicotina na fertilidade

influência da nicotina na fertilidade

Fumar é prejudicial tanto para a fertilidade da mulher, como do homem. Vários estudos demonstraram que os espermatozóides dos fumadores são menos eficazes na fecundação dos óvulos, morrem mais rapidamente e têm menos mobilidade21.

Quanto mais o homem fuma, mais a quantidade de espermatozóides e a percentagem de formas normais (morfologia) são afectadas.

Na mulher, o tabagismo tem vários efeitos negativos para a fertilidade devido à má circulação sanguínea, o que prejudica quer a produção de hormonas, quer a implantação do óvulo no útero22.

Até mesmo o fumo passivo pode reduzir a fertilidade. As mulheres grávidas fumadoras correm um maior risco de abortar. Além disso, os bebés cujas mães fumaram durante a gravidez têm um estado geral de saúde pior do que os bebés cujas mães não fumaram. É, portanto, altamente recomendável que a mulher deixe de fumar caso esteja a tentar ter um filho.

Traficante de droga a receber dinheiro As drogas ilegais têm inúmeros efeitos nocivos, sendo um deles a redução da fertilidade.

Como tal, o consumo de substâncias ilegais deverá estar totalmente fora de questão para ambos os parceiros que tentam ter um filho, quer durante a gravidez, quer após o nascimento do bebé.

Um estudo concluiu que a canábis reduz a quantidade e a motilidade dos espermatozóides ejaculados23. Da mesma forma, o número de espermatozóides com malformações revelou-se superior à média.

Foi demonstrado que estes danos se mantêm a longo prazo já que, mesmo após vários meses de abstinência, continuaram a não ser alcançados os níveis normais24.

A cocaína e outras substâncias têm efeitos semelhantes na fertilidade. No pior cenário, as drogas podem danificar o material genético dos espermatozóides e dos óvulos. Assim, se um ou ambos os pais consumirem drogas, isso poderá ter um impacto altamente prejudicial no desenvolvimento de uma criança no longo prazo.

Experiências com ratos de laboratório demonstraram que o consumo de marijuana por parte da mulher pouco após a fecundação, pode resultar em anomalias consideráveis no desenvolvimento do seu descendente masculino25. A acção do componente psicoactivo da marijuana também provoca a morte de vários óvulos enquanto estes viajam para o útero, ou a sua incorrecta implantação nas trompas de Falópio.

A uma gravidez que ocorre fora do útero dá-se o nome de gravidez ectópica ou gravidez tubária, e pode ter consequências potencialmente fatais para a mãe26.

influência da medicação na fertilidade

influência da medicação na fertilidade

Alguma medicação interfere com o delicado equilíbrio hormonal do organismo e pode reduzir a fertilidade. A lista é vasta e inclui inúmeras substâncias psicotrópicas, cortisona, medicação para a tensão arterial e esteróides anabolizantes. Os medicamentos contra o cancro podem causar infertilidade prolongada.

Certifique-se de que fala com o seu médico sobre a influência que os medicamentos que toma regularmente podem ter na sua fertilidade. Se esse for o caso, terá de considerar outras alternativas com a ajuda do seu médico.

Reduza o contacto com poluentes

Estudos científicos demonstraram, repetidas vezes, que existem vários poluentes com efeitos negativos para fertilidade do homem e da mulher. Os metais pesados presentes nos alimentos, no pó e na água são tão perigosos como os pesticidas ou os plastificantes.

Por exemplo, demonstrou-se que trabalhadores agrícolas do sexo masculino que tiveram contacto directo com pesticidas apresentaram anomalias na qualidade do seu esperma, de forma significativamente mais frequente do que outros homens27.

Muitas substâncias sintéticas são quimicamente semelhantes ao estrogénio. No pior caso, isso pode perturbar o equilibro hormonal masculino e prejudicar a qualidade e a quantidade do esperma produzido.

Estas substâncias também diminuem os níveis de fertilidade na mulher. Até o simples ar que nos rodeia está carregado de substância nocivas libertadas, por exemplo, pela mobília, tintas de parede, objectos decorativos e embalagens. Por isso, é impossível proteger-se totalmente destas substâncias.

No entanto, há um conjunto de práticas que pode adoptar para minimizar o número de poluentes com os quais tem contacto através do ar, da pele ou da comida.

Opte por produtos frescos ou alimentos orgânicos sempre que possível, mas certifique-se de que lava sempre muito bem a fruta e os legumes e que retira sempre as folhas exteriores das alfaces ou das couves.

  • O calor do fogo destrói as vitaminas e elimina os oligoelementos dos alimentos cozinhados. Não cozinhe demasiado a sua comida. Cozinhe-a com o maior cuidado e rapidez possível, ou ainda melhor, coma alimentos crus!
  • Evite alimentos processados que contêm conservantes e aditivos.
  • Reduza a utilização de embalagens plásticas para guardar ou preparar os alimentos.
  • Lave várias vezes peças de roupa novas antes de as vestir.
  • Mantenha as divisões da casa bem arejadas e evite ao máximo utilizar ambientadores.
  • Quando utilizar tintas de parede com baixo teor de solvente, não utilize revestimentos de pavimento em PVC ou papéis de parede em PVC.
  • Utilize apenas produtos de limpeza que não contenham cloro ou almíscares artificiais.
  • Não faça restaurações com amálgama dental. Certifique-se também de que não faz tratamentos dentários que envolvam a remoção de amálgama dental quando estiver a tentar engravidar, uma vez que os níveis de exposição do corpo ao mercúrio aumentam após a remoção do amálgama dental.
  • O atum, o cação e o peixe espada são uma boa fonte de aminoácidos, mas também contém elevados níveis de mercúrio, por isso, coma estes peixes com moderação.
  • Se a sua rotina diária de trabalho obriga ao um contacto com substâncias tóxicas ou perigosas, certifique-se de que segue rigorosamente todas as regras de segurança.
  • Uma vez que a radiação electromagnética de dispositivos com Bluetooth reduz a fertilidade masculina,28 29 desligue a funcionalidade do Bluetooth dos seus dispositivos sempre que possível.
influence of sex positions on fertility

Relações sexuais mais frequentes e mais apaixonadas

Durante muito tempo os especialistas discordaram quanto aos benefícios da abstinência sexual nos dias anteriores ao período fértil da mulher. Contudo, verificou-se que relações sexuais mais frequentes resultam numa melhor qualidade do esperma30.

Quando a mulher está com a predisposição certa para a relação sexual, as suas secreções vaginais ajudam o esperma a chegar ao seu destino. Tenha em atenção que, <strong>salvo indicação em contrário</strong>, os lubrificantes e os cremes geralmente contém substâncias que podem ser prejudiciais aos espermatozóides.

Opte por posições sexuais favoráveis

A posição do missionário é a posição ideal para conceber um filho. Esta posição permite que o pénis penetre mais profundamente na vagina, havendo menos probabilidade de o esperma voltar a sair.

É aconselhável que a mulher permaneça deitada de barriga para cima alguns minutos após ter tido relações sexuais e que eleve ligeiramente a pélvis em relação ao resto do corpo, com a ajuda de uma almofada. Como o colo do útero e o útero se situam num ângulo inferior ao da vagina, a gravidade pode facilitar o transporte dos espermatozóides.

Da mesma forma, quando a penetração é feita por trás, estando ambos os parceiros deitados de barriga para baixo e com os joelhos ligeiramente dobrados, um número muito maior de espermatozóides alcançam o útero. Isso acontece porque, nesta posição, o pénis pode penetrar mais profundamente na vagina encurtando o percurso dos espermatozóides até ao útero.

Todas as posições que envolvam estar sentado ou de pé são desadequadas para quem tenta engravidar. Isto porque é provável que grandes quantidades de esperma voltem a sair, pela vagina, devido às leis da gravidade. Isto faz com que relativamente poucos espermatozóides alcancem o útero, reduzindo estatisticamente a probabilidade de a mulher engravidar.

Bibliografia

  1. “Shayeb AG, Harrild K, Mathers E, Bhattacharya S. An exploration of the association between male body mass index and semen quality. Reprod Biomed Online. 2011;23(6): 717-23”
  2. “Wilkes S, Murdoch A. Obesity and female fertility: a primary care perspective. J Fam Plann Reprod Health Care. 2009; 35(3): 181-5”
  3. “Alvarez-Blasco F, Botella-Carretero JI, San Millan JL, Escobar-Morreale HF. Prevalence and characteristics of the polycystic ovary syndrome in overweight and obese women. Arch Intern Med. 2006;166(19): 2081-6”
  4. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14623515”
  5. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC18832/”
  6. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3192363/”
  7. “Schachter, A., et al.; Treatment of Oligospermia with the amino acid L-Arginine; Journal of Urology, 110 (3); 310-313; 1973”
  8. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7701414”
  9. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1819998”
  10. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3471267/”
  11. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23829562”
  12. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2505167/”
  13. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25085801”
  14. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12418990”
  15. “http://en.wikipedia.org/wiki/Vitex_agnus-castus#Current_uses”
  16. “Jensen TK, Henriksen TB, Hjollund NH, Scheike T, Kolstad H, Giwercman A, Ernst E, Bonde JP, Skakkebaek NE, Olsen J. Caffeine intake and fecundability: a follow up study among 430 Danish couples planning their first pregnancy. Reprod Toxicol. 1998;12(3): 289-95”
  17. “Jensen TK, Swan SH, Skakkebaek NE, Rasmussen S, Jorgensen N. Caffeine intake and semen quality in a population of 2554 young Danish men. Am J Epidemiol. 2010;171(8): 883-91”
  18. “Sobreiro BP, Lucon AM, Pasqualotto FF, Hallak J, Athayde KS, Arap S. Semen analysis in fertile patients undergoing vasectomy: reference values and variations according to age, length of sexual abstinence, seasonality, smoking habits and caffeine intake. Sao Paulo Med J. 2005;123(4): 161-6”
  19. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3493844/”
  20. “http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3739141”
  21. “Zhou NY, Cao J, Cui ZH, Han X, Cai M, Bao HQ, Li YF, He JL. Effects of smoking on sperm apoptosis and semen quality of adult males in the main urban area of Chongqing. Zhonghua Nan Ke Xue. 2009;15(8): 685-8”
  22. “Soares SR, Simon C, Remohi J, Pellicer A. Cigarette smoking affects uterine receptiveness. Hum Reprod. 2007;22(2): 543-7”
  23. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3717046/”
  24. “Hembree WC, Nahas GG, Zeidenberg P, Huang HF. Changes in human spermatozoa associated with high dose marihuana smoking. Adv Biosci. 1978;22: 429-39”
  25. “Dalterio SL, deRooij DG. Maternal cannabinoid exposure. Effects on spermatogenesis in male offspring. Int J Androl. 1986; 9(4): 250-8”
  26. “Schuel H. Tuning the oviduct to the anandamide tone. J Clin Invest. 2006;116(8): 2087-90”
  27. “Hossain F, Ali O, D’Souza UJ, Naing DK. Effects of pesticide use on semen quality among farmers in rural areas of Sabah, Malaysia. J Occup Health. 2010;52(6): 353-60”
  28. “Agarwal et.al. (2009) Effects of radiofrequency electromagnetic waves (RF-EMW) from cellular phones on human ejaculated semen: an in vitro pilot study, Fertility and Sterility, Volume 92, issue 4, (pp.1318-25)”
  29. “Gutschi et.al. (2011). Impact of cell phone use on men’s semen parameters. Andrologia, Volume 43, issue 5, (pp. 312-16)”
  30. “Levitas E, Lunenfeld E, Weiss N, Friger M, Har-Vardi I, Koifman A, Potashnik G. Relationship between the duration of sexual abstinence and semen quality: analysis of 9489 semen samples. Fertil Steril. 2005;83(6): 1680-6”
Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

clear formSubmit