Métodos, Custos e Probabilidades

Quando um casal opta por fazer inseminação artificial, dá-se início a uma nova fase do planeamento familiar. O processo pode ser bastante exigente para ambos os parceiros do ponto de vista financeiro, físico e psicológico- mas a recompensa final está próxima.

A mulher pode ter dificuldades em tolerar todas as hormonas que precisa de tomar, uma vez que podem provocar fortes variações de humor, dores de estômago e náuseas. Esta fase pode ser difícil para o homem, que frequentemente se sente incapaz de ajudar a companheira.

Além disso, os custos financeiros podem representar uma sobrecarga no orçamento familiar, já que os tratamentos de fertilidade constituem uma grande despesa para o casal.

Comparação de Combinações de Suplementos

Os suplementos para a fertilidade masculina presentes no mercado diferem substancialmente em matéria de qualidade e de preços.
Continue a ler para saber que produtos merecem o seu tempo e o seu dinheiro

Geralmente o último recurso (embora eficaz)

Pelas razões já referidas, os casais optam pela inseminação artificial apenas depois de esgotarem todas as possibilidades de concepção natural.

O homem deverá procurar garantir que a qualidade do seu esperma está no melhor nível possível. O que pode implicar a implementação de mudanças no seu estilo de vida e uma dieta específica.1 2.

Estudos têm comprovado que há uma série de micronutrientes que estimulam o desenvolvimento mais saudável dos espermatozóides e que aumentam a sua motilidade, em homens sub-férteis (veja a comparação, à esquerda).

À mulher é recomendada a ingestão de doses significativas de compostos multivitamínicos que ajudam a reduzir o stress oxidativo. Também deverão incluir-se na sua dieta, vitaminas, ácido fólico 3 e ácidos gordos essenciais, já que estes micronutrientes podem estimular o desenvolvimento saudável do embrião4,5.

Riscos

Há um número de riscos evidentes associados à inseminação artificial, que podem ser contornados com êxito, se o casal estiver bem informado antes de iniciar o tratamento. Clique no botão abaixo para ler o nosso artigo a este respeito.

Custos e probabilidade de sucesso com o método da inseminação artificial

Inseminação Intra-Uterina

A Inseminação Intra-Uterina (IIU) é o método de inseminação artificial mais comum pelo qual o esperma, depois de tratado em laboratório, é injectado directamente no útero. Quando existe apenas uma pequena quantidade de espermatozóides, é utilizado um método semelhante chamado de Inseminação Artificial Intratubária (ITI). Neste caso o esperma é injectado directamente na trompa de Falópio.

Geralmente o esperma é obtido através da masturbação. O procedimento de inseminação é indolor e não existem quaisquer riscos graves associados.

Custos e probabilidade de sucesso

Se a mulher utilizar esperma do seu parceiro, o custo médio da inseminação artificial, na Europa Ocidental e nos Estados Unidos, é de 500 $ / 400 €/ 350 £ por ciclo. No entanto, este custo pode ascender aos 2500 $ / 2000 € / 1750 £ quando se consideram os custos das ecografias de monitorização e da medicação.

Importa referir que estes custos podem ser consideravelmente mais baixos na Europa Oriental e no Extremo Oriente, dependendo de cada clínica.

As probabilidades de sucesso dependem da idade e do perfil de fertilidade do casal. A maior parte dos casais que optam pela IIU têm 5 a 20 por cento de hipóteses de engravidar, em cada ciclo. Se for utilizada medicação para a fertilidade em conjunção com o procedimento as hipóteses poderão ser de 20 por cento. Não estão disponíveis estatísticas de nados-vivos para casos de inseminação artificial.

Leia o artigo sobre Inseminação Artificial Intra-Uterina e Intra-Cervical

 

Continue a ler!

Fertilização in vitro

Na fertilização in vitro (FIV), são recolhidos óvulos maduros da mulher e fertilizados com esperma do seu parceiro em laboratório. Se a fertilização for bem-sucedida, são introduzidos até quatro embriões (dependendo do país) no útero da mulher, através da vagina. Se forem fertilizados mais de quatro óvulos, estes poderão ser congelados e guardados para um tratamento posterior.

Custos e probabilidade de êxito

A HFEA (Autoridade para a Fertilização Humana e a Embriologia), no Reino Unido, define as probabilidades de sucesso quer para a FIV, quer para a ICSI da seguinte forma:

A capacidade da mulher para conceber um filho diminui com a idade. Se a mulher utilizar os seus próprios óvulos, por norma, a probabilidade de ser bem-sucedida é maior quanto mais jovem for a mulher.

No Reino Unido, em 2010, (o ano a que correspondem os dados disponíveis mais recentes) a percentagem de ciclos iniciados, que resultaram em nados-vivos (médias nacionais britânicas) para mulheres que recorreram à fertilização in vitro utilizando embriões gerados pelos seus próprios óvulos (não congelados) foi de:

  • 32,2% em mulheres com menos de 35 anos
  • 27,7% em mulheres entre os 35 e os 37 anos
  • 20,8% em mulheres entre os 38 e os 39 anos
  • 13,6% em mulheres entre os 40 e os 42 anos
  • 5,0% em mulheres entre os 43 e os 44 anos
  • 1,9% em mulheres com 45 ou mais anos

A maior parte das mulheres tem uma probabilidade de sucesso entre os 20% e os 35%, por ciclo. Por esse motivo é que são tentados até três ciclos.

Os custos podem variar largamente, desde cerca de 10 000 $ / 8000 € / 7000 £, por ciclo, nos EUA e no Reino Unido, até cerca de 4500 $ / 4000 € / 3500 £, por ciclo, em países da Europa Ocidental como a França e a Espanha, ou até 2000 $ / 1600 € / 1400 £ em países como a Índia, a Turquia e a Lituânia.

Leia o artigo sobre a FIV

 

Continue a ler!

Alguns riscos específicos da FIV

Após a transferência dos embriões, a mulher pode tomar progesterona, uma hormona produzida no corpo lúteo, para ajudar o seu próprio organismo. Nestes casos, a probabilidade de ocorrer uma gravidez ectópica ou um aborto é ligeiramente maior na FIV do que numa forma de fertilização natural.

O facto de a taxa de malformações congénitas poder ou não ser superior nestes métodos de inseminação artificial é uma questão controversa entre os profissionais deste ramo6 e que ainda não foi devidamente demonstrada.

Injecção Intracitoplasmática de Espermatozóides

O procedimento conhecido como injecção intracitoplasmática de espermatozóides (ICSI) é muito semelhante à FIV no que respeita às etapas do tratamento e aos riscos associados. Nos tratamentos de FIV os espermatozóides e os óvulos são fertilizados apenas fora do corpo, num tubo de ensaio (= “in vitro”), o que permite uma penetração natural do espermatozóide no óvulo.

Na ICSI o médico injecta um espermatozóide directamente no óvulo. Este método é útil sobretudo nos casos em que a qualidade do esperma do homem é muito baixa e contém poucas ou nenhumas células germinais.

Custos e probabilidades

As probabilidades de sucesso da ICSI ou da FIV são praticamente as mesmas, como tal, estes métodos não são apresentados separadamente. Veja a secção das probabilidades no separador acima (FIV).

O custo da ICSI nos EUA e no Reino Unido ronda os 1500 $ / 1200 € / 1000 £ por ciclo. No entanto, é expectável que os preços variem consoante o seu perfil de fertilidade e região em que se encontra.

Os preços são estimados com base em cerca de 10 a 12 dias de utilização de medicamentos estimulantes da fertilidade para ciclos de tratamentos de FIV, ICSI e IMSI. É difícil fazer uma previsão dos custos da medicação, porque a resposta ao estímulo varia de paciente para paciente e as doses poderão ser aumentadas ou reduzidas durante o ciclo de tratamento de fertilidade.

Conforme referido anteriormente, tanto o preço dos tratamentos como da medicação são provavelmente mais baixos em países da Europa Oriental ou fora da Europa.

Riscos específicos da ICSI

Na ICSI, o esperma do homem obtém-se através da extracção de tecido dos testículos ou do epidídimo. É necessário um anestésico de curta duração para realizar a biópsia aos testículos ou ao epidídimo. Esta microcirurgia envolve um certo risco, como acontece em todas as intervenções cirúrgicas.

Leia o artigo sobre a injecção intracitoplasmática de espermatozóides

Continue a ler!

Doação de óvulos (Transplante Alogénico de Óvulos)

Este processo envolve a fertilização de um óvulo doado com o esperma do homem, num tubo de ensaio. Este método não é permitido em vários países da UE, como é o caso da Alemanha.

Neste tipo de inseminação artificial, o óvulo fertilizado da doadora é transferido para o útero da mulher que está a tentar engravidar. Nestes casos, geralmente, a doadora não mantém qualquer relação ou contacto posterior com a criança.

Enquadramento global dos custos

Tal como explicado em cada uma das secções, os custos variam muito e geralmente não são cobertos por seguros de saúde. No geral, o orçamento não deverá ser inferior a 12 000 $ / 10 000 € / 8 000 £ num tratamento profissional e com reais probabilidades de sucesso.

Contudo, os custos não deverão ser a sua principal preocupação. O mais importante é a sua saúde e o processo de procura e escolha de uma clínica de fertilidade.

Durante o processo de selecção, tenha em conta as seguintes aspectos:

  • nas zonas em que existem poucas clínicas de fertilidade, em média, os preços são mais elevados devido a uma menor concorrência
  • um custo de vida elevado não significa que os custos dos tratamentos sejam elevados
  • os preços para a IIU variam num factor de 10, i.e. existe um enorme diferencial. Alguns orçamentos incluíam medicação, tratamento de sangue e sonogramas; outros não— daí a grande discrepância de preços.

Perguntas que deve colocar

Os casais que estejam a considerar a hipótese da inseminação artificial deverão escolher criteriosamente a sua clínica e ponderar uma série de factores. Se os custos forem um factor determinante para a sua decisão, peça à clínica uma lista detalhada dos procedimentos e respectivos custos, e coloque também as seguintes questões:

  • Os medicamentos para a fertilidade, os testes, o trabalho de laboratório e as consultas estão incluídos nos custos do tratamento?
  • A clínica oferece aconselhamento financeiro e psicológico? Se for o caso, existem custos adicionais associados a estes serviços?
  • Uma vez que a maior parte dos pacientes não beneficia da cobertura de um seguro para os tratamentos de infertilidade, saber os custos de antemão é uma opção financeira sensata.

O Directório da Fertilidade

A nossa base de dados apresenta uma série de clínicas e especialistas altamente recomendados com uma vasta experiência de longos anos nesta área.

Faça aqui a sua pesquisa e não hesite em contactar estes especialistas ou em colocar-lhes as questões referidas acima:

Bibliografia

  1. “Morales ME, Rico G, Bravo C, Tapia R, Alvarez C, Mendez JD. Progressive motility increase caused by L-arginine and polyamines in sperm from patients with idiopathic and diabetic asthenozoospermia. Ginecol Obstet Mex. 2003; 71: 297-303
  2. “Scibona M, Meschini P, Capparelli S, Pecori C, Rossi P, Menchini Fabris GF. L-arginine and male infertility. Minerva Urol Nefrol. 1994; 46(4): 251-3”
  3. “Laanpere M, Altmae S, Stavreus-Evers A, Nilsson TK, Yngve A, Salumets A. Folate-mediated one-carbon metabolism and its effect on female fertility and pregnancy viability. Nutr Rev. 2010; 68(2): 99-113”
  4. “Coletta JM, Bell SJ, Roman AS. Omega-3 fatty acids and pregnancy. Rev Obstet Gynecol. 2010; 3(4): 163-171”
  5. “Greenberg JA, Bell SJ, Ausdal WV. Omega-3 fatty acid supplementation during pregnancy. Rev Obstet Gynecol. 2008; 1(4): 162-169”
  6. “Chian RC, Xu CL, Huang JYJ, Ata B. Obstetric outcomes and congenital abnormalities in infants conceived with oocytes matured in vitro. Facts Views Vis Obgyn. 2014; 6(1): 15-18”
Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

clear formSubmit